Santa Propaganda, Batman!

Tudo bem, me rendo. Antes de começar esse texto, quero deixar claro que SIM, assisto o Big Brother Brasil. E adoro ver as belezuras que expõem sua beleza na tela da tevê no meio desse povo. Esclarecido esse pormenor, vamos ao texto em si.

Um belo dia, nesse caso uma bela noite, estava eu a assistir o BBB 11, vendo as meninas com seus biquínis pequenos, bem pequenos mesmo, e me deparo com uma prova do líder um tanto quanto esquisita. É, concordo que o BBB é praticamente todo esquisito, mas nesse caso específico, a prova consistia em vestir os participantes de frango. Eles tinham que entrar em um saco plástico e depois ir a um forno por um período de tempo determinado. Devia fazer um calor dos diabos dentro daquela fantasia, e essa era a ideia, pois a prova era de resistência, e ganhava quem ficasse por último. A prova em questão era um merchandising do produto Meu Frango Assado, da Knorr. E foi por essa propaganda que me passei a conhecer os sabores do produto, além de entender como ele funcionava. Já havia visto a propaganda na TV, fora do BBB, onde a família fica paralisada esperando o frango sair do forno, e confesso que não acreditei no que a campanha dizia: seu frango suculento em apenas três passos. Já tentei usar vários produtos que as propagandas tentam nos empurrar e lógico, não iria acreditar em um tão ousado, que me faria fazer um frango suculento tão facilmente. E cético como sou, voltei para o sofá, e continuei a assistir o BBB normalmente.
Passado alguns dias fui ao supermercado fazer umas compras e me deparo com o Knorr Meu Frango Assado. Custava R$ 2,45, eu estava com fome e resolvi encarar. Afinal, as únicas comidas fáceis que eu conseguia fazer era ovo frito e nissin miojo.  Levei para casa o produto e cerca de 1 kg de frango. Não sabia se o saquinho plástico vinha na embalagem ou teria que comprá-lo por fora, mas ao abrir o produto achei o saquinho lá. E a trava plástica que serve para fechar o saco. Pus o frango dentro, com um medo danado de tudo dar errado e de ficar sem almoço. Pus o tempero, misturei, ainda não acreditando que iria dar certo. Mexi tudo lá dentro, misturei balançando com força o saco e fui ver nas instruções se eu realmente não precisava por mais nada dentro. Para meu espanto, não, definitivamente não precisava por mais nada. Era só colocar o saco com o frango em um refratário e colocar no forno pré-aquecido. Fiz tudo direito, e esperei, tendo a certeza que iria ter que comer o velho nissin quando tudo desse errado. Após o tempo determinado, abri curioso o forno e vi que o negócio tava bonito. E com um cheiro muito bom. Depois de tirar do forno, o medo de perder a grana e o almoço diminuiu, mas ainda achava que o gosto não seria tão bom. Espetei o garfo e vi que realmente a carne do frango tinha ficado bem mole, completamente diferente de qualquer frango cozido que já havia comido. Coloquei um pouco de arroz, uma farofa pronta, e um pedaço do frango em um prato. E comi. Bom, ai veio à surpresa de toda uma vida de propagandas enganosas e de decepções na cozinha. Estava delicioso. Suculento. Pude tirar até onda dizendo que era uma receita de família que eu sabia fazer desde menino. Realmente foi uma excelente surpresa ver aquilo funcionando tão bem. Aprovado e recomendado a todos meus amigos, que como eu, são uma negação na cozinha e que queiram fazer um agrado para a patroa. Realmente muito fácil, prático e relativamente barato.
Enfim, o produto cumpriu o prometido. Espero que você também goste. Um almoço excelente para um dia de domingo com aquela cerveja gelada. Agora estou na expectativa que mais produtos desse tipo sejam comercializados, como por exemplo a carne bovina feita da mesma forma. Já imaginou um cupim de boi feito facilmente sem precisar de muita frescura e onde até um jegue na cozinha como eu consegue deixar bom? Então ficam meus agradecimentos a Knorr e meu pedido que continuem investindo nesse tipo de produto, que ajuda a nós homens, que às vezes precisamos nos virar sozinhos, e as patroas que querem ter menos trabalho na cozinha.

E antes que o dono dessa Blodega, doutor Moziel, venha me cobrar a parte dele, já aviso: não ganhei nenhuma ruela de ninguém por escrever esse texto. É apenas minha visão sobre um produto, e meu deslumbre sobre o fato dele ter funcionado. Uma coisa boa nesse mundo de propagandas tão mentirosas, nessas fotos de produtos falsos, como as imagens deslumbrantes dos sanduíches nos fast foods. E digo que fui inspirado por um blog que eu acho muito legal e esclarecedor: o Coma com os Olhos. Já  que esse texto é de Jabá mesmo, vale clicar aqui e dar uma olhada nesse blog. E que a verdade prevaleça no mundo publicitário!

Enhanced by Zemanta

facebook comments:

  • http://www.semarrudeio.com Raphael – Blog Sem Arrudeio

    Mas concordo contigo em grau, gênero e número!
    Foi comprado aqui em casa por curiosidade também e não é que deixa a peste do frango bom mesmo?!
    Eu só acho que colocar um salzinho junto do tempero dá uma ajudada, pois achei que a coisa não ficou lá muito salgada.
    Mas realmente, fica bom mesmo e dá um gosto a mais no frango. :P

    Mídia espontânea, meu caro!
    E com essa parada da Knorr, é uma mídia espontânea muito justa! :P

    • http://admin Moziel T.Monk

      Tio Xiko, não vou comentar nada sobre você estar solteiro e se virar do jeito que pode pra comer alguma coisa ou estar assistindo ao Big brother. Mas se seu próximo artigo for sobre o programa de Ana Maria Braga, decididamente você tem problemas.

  • http://www.blodega.com Tio Xiko

    Nobre amigo Moziel, Ana Maria Braga ja assisti sim, algum tempo atrás, mas hoje não tenho mais tempo para ver as piadas do louro José! Rá!
    Nobre Raphael, não notei que estava sem sal, pra mim ficou bom. E você viu ai? Tô dizendo que o negócio presta! Que venha a cerveja que possa ser feita em casa com a ajuda de uns temperos desses!

Receba a Blodega

Digite seu email:

Desenvolvido por FeedBurner

Olha o Passaralho!

RSS

Clientela