Posts Tagged ‘clones’

Os Clones do Wolverine

O jovem Hiroshi está tentando ressucitar o Carnaval de Quadrinhos das Quartas, a blogagem coletiva da qual participava nos bons tempos do Busilis. O tema dessa semana seria Wolverine, muito provavelmente devido a estréia do filme solo do baixinho mais marrento dos quadrinhos na próxima sexta. Não sei se vai rolar mais um CQQ, mas eis minha singela contribuição; um rápido apanhado sobre as versões “genéricas” do Wolverine.

Como assim? Bem, o baixinho surgiu como um coadjuvante em uma história do Hulk contra o Wendigo, e se tornou um mutante membro dos X-Men. E como ele costumava ser o melhor no que fazia, mas o que ele fazia não era muito agradável, se tornou um personagem por demais popular desde os anos 80, e de lá pra cá seu sucesso editorial deve ter crescido os olhos da concorrência pra tentar gerar um fenômeno parecido. Ou se os nerds gostam de um baixinho invocado e selvagem, com fator de cura, esqueleto indestrutível e garras afiadas, cada editor deve ter querido ter seu próprio Wolverine. E alguns tentaram ter os seus. Eis um rápido apanhado desse breve fenômeno mutante:

O Plágio Descarado – Ripclaw

Bem, a Image surgiu nos anos 90 como uma promessa, mas não passou muito disso. A iniciativa dos desenhistas best-sellers das grandes editoras até então (Marvel e DC) em desenvolver, criar e manter a propriedade intelectual de suas criações acabou resultando apenas em pastiches e cópias-carbono de fórmulas que funcionavam nas velhas editoras, e a imagem que a Image passou é de apenas copiar o que já havia de interessante.E Ripclaw, criação de Marc Silvestri para o título Cyber-Force nunca pareceu esconder bem a inspiração original.

Tá, mas falemos do RipClaw. Ele é um nativo americano (se é Cheyenne, Navajo ou Apache não sei nem quero saber), destinado a liderar as nações indígenas e herdeiro de uma mutação genética, e ao ser recrutado pela Cyber-Force recebe implantes cibernéticos. Como de praxe, possui garras, poderes mutantes e uma vontade danada de retalhar o inimigo. Isso lembra alguém que você conheça?

A Paródia – Lobo

Inicialmente Lobo foi introduzido (epa!) no universo DC na primeira metade dos anos 80 na revista “Omega Men”. Criado por Keith Giffen e Roger Slifer, era inicialmente um mero caçador de recompensas completamente amoral, que ocasionalmente apareceu nesse título. Anos depois Giffen, que ao lado de DeMatteis estava a frente das histórias da Liga da Justiça, resolveu trazer o personagem de volta, alterar diversos detalhes visuais e biográficos e lhe dar um verniz cômico. Lobo se tornou uma caricatura da tendência que surgira no mercado editorial de anti-heróis violentos, e os leitores acabaram associando sua imagem principalmente a do violento Wolverine. Beberrão, sem moral ou ética e capaz de cometer todo tipo de atrocidade prescindindo de qualquer motivo, o personagem caiu no gosto do público, que provavelmente não entendeu a piada. Chegou a ter título próprio, e aqui no Brasil se destacou em hilárias e anárquicas edições especiais como “Lobo vs Papai Noel”, “Lobo Vs Máskara”, “Lobo Está Morto”, “Lobo e Juiz Dredd”, “Lobocop” e mais uma porção de insanidades.

A Versão Feminina – X-23

O projeto Arma-X teria dado origem ao esqueleto de adamantium de Wolverine, ao menos desde a última vez que li quadrinhos, já que o passado de Wolverine é mais inconstante que as vontades de uma mulher na TPM, e varia de acordo com a criatividade (ou falta dela) do roteirista da vez. Mas consideremos que isso seja um fato imutável. Só o projeto Arma-X geraria algumas versões do baixinho invocado. Uma delas é o seu maior inimigo, Dentes-de-Sabre. Outra versão semelhante é o maluco do Deadpoool, que é um mercenário que recebeu um excelente fator de cura, sendo desfigurado e despirocado no processo.

Mas o melhor clone “autorizado” do Wolverine não saiu dos incompetentes do projeto Arma-X, e sim da HIDRA, resultado de experiências genéticas para recriar uma versão feminina do Wolverine. Tem praticamente os mesmos poderes do baixinho canadense, com exceção de ter apenas duas garras nas mãos e uma garra em cada pé, além de seu esqueleto não ser totalmente revestido de adamantium. Ela é X-23, e o número indica as tentativas não concretizadas de clonar a versão mutante do Romário. Originalmente o personagem surgiu na série animada X-Men:Evolution. Só depois seria transposta para os quadrinhos, aparecendo nas minisséries X-23: Innocence Lost e X-23: Target X , passando a participar de diversas histórias dos X-Men.

A Versão Mais Gostosa – Claire Bennett

Ah, fanboys! Pense numa raça chata! Não vou dizer que a série “Heroes” é a melhor coisa que apareceu nos últimos anos na TV, tampouco a minha preferida, mas está entre elas, e presta uma senhora homenagem ao mundo dos comics, enchendo os episódios com referências. Só que tem gente que confunde isso com plágio. E qualquer referência que aparece na série a algum elemento do universo HQ é apontado por muitos como plágio descarado.

Exageros à parte, o universo de eventos de “Heroes” bebe até se encharcar na fonte dos decanos quadrinhos, que tem poder para dar e vender. E entre todo tipo de poder que haveria de surgir, tem o “fator de cura” da jovem patricinha líder de torcida Claire Bennett, cuja maior preocupação é se manter popular em sua High School, e o que ela menos quer é poderes e responsabilidades, mesmo tendo um senhor poder, se tornando praticamente indestrutível e imortal. Mas cá entre nós, você preferiria encontrar em um beco escuro (ou iluminado, que seja) um Hugh Jackman de penteado estranho e roupas de couro ou a Hayden Panettiere em roupinha de líder de torcida?

A Porralouquice da Casa de Idéias

Como a Marvel é famosa em gerar versões alternativas de seus personagens, sem relação com suas respectivas cronologias, isso às vezes dá liberdade aos roteiristas em ousar ir além do “status quo” estabelecido para o personagem. Por isso, se você procurar direitinho, Wolverine já apareceu em inúmeras versões, mesmo que em histórias isoladas sobre universos alternativos. Mas destacamos:

Garra das Trevas: Um amálgama entre Wolverine e Batman, cujo maior inimigo era o Hiena (amálgama entre Coringa e Dentes-de-Sabre). Surgiu durante o mega-crossover entre Marvel e DC no meio dos anos 90. E ainda falam mal dos anos 80…

Arma-X – Certamente uma das mais interessantes, é a versão mais selvagem e maneta do baixinho, surgida nos eventos alternativos da saga “Era do Apocalipse”. Nessa versão ele faz um par romântico com Jean Grey e combate a ditadura mutante de Apocalipse apenas com a garra direita.


Wolverine Ultimate – Dentro do universo Ultimate, Wolverine é um personagem bem mais escroto e amoral do que o Wolverine original. Além disso, ele é um humano que adquiriu sua mutação através de experiências do projeto Arma-X. E o penteado é bem menos ridículo (bem, nem tão menos ridículo).

Technorati : , , , , , , ,
Del.icio.us : , , , , , , ,
Flickr : , , , , , , ,

Receba a Blodega

Digite seu email:

Desenvolvido por FeedBurner

Olha o Passaralho!

RSS

Clientela